O minimalismo em minha casa



"A living space should be a sanctuary, 
it has to be a place where you can reflect on your life, 
When one arrives home, there's a very tranquil feeling" 
Tadao Ando

Antigamente, a orçamentação era o maior luxo que uma casa poderia ter. As carpetes queriam-se repletas de detalhes, os tectos esculpidos e as paredes escondidas atrás de quadros com molduras a imitar o ouro. Nessa altura, a riqueza de uma casa era representada pela quantidade de objectos que lá existiam e pela ostentação dos mesmos. Hoje ainda existem muitas casas assim mas, para o bem e para o mal, a recessão económica obrigou muita gente a trocar a ornamentação pelo minimalismo.
A ornamentação deixou de ser vista como luxo e passou a ser rotulada como algo antiquado que pode facilmente ultrapassar a linha do mau gosto e, com a passagem do tempo, as paredes começaram a ficar mais vazias, os lustres começaram a desaparecer e os móveis deixaram de ser tão pesados. A modernidade estava a chegar à decoração de interiores. Pelo menos era nisto que eu queria acreditar.

Apesar de eu ter crescido numa casa moderna, onde a maior parte dos móveis que existem são funcionais e não decorativos, eu sei que provavelmente a maior parte das casas portuguesas ainda usa a ornamentação como principal método decorativo.

O exagero de elementos decorativos que existia na minha antiga casa alugada foi uma das principais razões porque me mudei há uns meses atrás. A casa onde estou agora também é alugada mas parece que foi feita à minha medida. Os móveis são poucos e a sua estética é simples e minimalista. As portas são brancas e as janelas deixam o sol entrar todas as manhãs.
Além disso, ao contrário da minha antiga casa, onde a cozinha tinha pratos e panelas que ninguém usava, na minha nova cozinha há apenas loiças e utensílios que são mesmo essenciais 2 pratos de sopa que também podem servir de taças, 4 pratos para o resto e 4 pratos de sobremesa. Um conjunto de talheres que traz 4 de cada e 6 copos. 3 tachos, 2 frigideiras e 2 cerâmicas para irem ao forno. 2 colheres de pau e uma concha para a sopa. Nada mais, nada menos.
Também na sala e no quarto decidimos manter a casa o mais simples possível. Há quem acredite que o minimalismo numa casa são apenas paredes brancas e espaços vazios mas para mim o minimalismo decorativo é muito mais do que isso. Ao decorarmos uma casa apenas com elementos que achamos essenciais estamos a concentrarmo-nos naquilo que realmente gostamos e naquilo que mais importa para nós.
Uma casa minimalista é uma casa onde o mais importante é haver espaço para descansar, pensar, criar e conversar. Quando escolhemos menos decorações estamos a escolher mais tempo para fazer o que gostamos. Porque quando nos rodeamos de inspiração e não de ostentação estamos a alimentar a nossa criatividade. Enquanto o exagero e a abundância dentro de uma casa apenas nos deixam mais confusos e perdidos. Afinal, é difícil concentrarmo-nos naquilo que gostamos quando há muitos elementos diferentes à nossa volta.
Eu continuo a ter em casa elementos que não são essenciais. Na minha mesinha de cabeceira há uma vela, na janela duas plantas e na sala um leitor de gira-discos. Nada disto é essencial mas são coisas que me trazem imensa alegria e que tornam a minha casa num espaço ainda melhor.
Além disso, o facto de ter menos coisas faz-me sentir mais livre, calma e serena sem sequer ter de sair de casa.



MINIMALISM IN MY HOME

In the old days, complex ornamentation was the greatest luxury one could afford for any home. Detail-embellished carpets, sculpted ceilings and walls covered with paintings in frames that mimicked gold. Back then, the amount of objects on display within a house was like a its perceived wealth tally. Many houses like these still exist nowadays, but, for better or worse, the economic recession has forced many into giving up their décor for minimalism.
This kind of ornamentation stopped being perceived as a luxury, and steadily became an old-fashioned habit that could easily cross over into bad taste territory, and, as time went on, walls became more naked, chandeliers began to fade away, and the furnishings became lighter. A more modern mindset found its home in interior decor. That's what I wanted to believe, at least.
Even though I grew up in a modern house, in which most furniture is more functional than decorative, I know that probably, most Portuguese homes still use ornamentation as their main decoration method.
The overuse of embellished elements that was present in my previous rented home was one of the main reasons I moved a few months back. The house I am now living in is also rented, but it seems tailor-made just for me. The furniture is sparse and its aesthetics are clean and minimalistic. The doors are white and the windows let the sun shine through every morning.
Beyond that, unlike my old house, which had a kitchen filled with plates and pots that nobody ever used, in my new kitchen only the essential cutlery and dishware is present. 2 soup dishes that can also be used as bowls, 4 general use plates and 4 dessert plates. A cutlery set with 4 of each and 6 glasses. 3 pots, 2 pans and 2 ceramic trays for oven use. 2 wooden spoons and a single soup ladle. That is all. In the living room and bedroom, we also decided to go as simple as possible. Some people believe minimalism at home is nothing but white walls and empty spaces, but for me, decorative minimalism is much more than that. In decorating a house with only elements we consider essential, we're focusing on what we really like, and what matters to us the most.
A minimalistic home is a place where the priority is having room to rest, think, create and talk. When we choose less embellishment, we are also making more time to do what we really like. When we surround ourselves with inspiration instead of clutter, we are feeding our creativity, since an overabundance of props tends to make us feel confused and lost. It's hard to focus on what we really like when our surroundings don't match our feelings, after all.
I still have stuff in my home that is not essential. In my bedside table, there's a candle, in the window, two potted plants, and a turntable in the living room. None of these are essential, but they all bring me great joy and turn my home into an even better place.
Besides all that, having fewer things makes me feel more free, calm and tranquil without even having to leave my own house.


10 comentários:

  1. Inês,
    Adoro esse conceito de que minimalismo não é necessariamente a quantidade de coisas que temos, mas sim do que realmente precisamos para sermos felizes.
    Identificar o essencial e me livrar dos excessos tem sido a minha missão, ainda estou longe de chegar onde quero, mas estou amando a trajetória.
    Um beijo!
    Camila

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Camila!
      Obrigada pelo comentário :) Tenho a certeza que vais conseguir chegar ao nível de minimalismo que pretendes mas, é como tu disseste, o que importa é a trajetória :)

      Um beijo!
      Inês

      Eliminar
  2. oi inês ,vc fala quantos idiomas? (só curiosidade)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só falo português, inglês e um pouco de espanhol, mas também adorava saber falar italiano, alemão e mandarim.

      Eliminar
  3. Apenas o essencial,exatamente é o que estou em busca,quanto tempo você teve, para chegar a ser minimalista em sua casa ? parabéns pelo video!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que foi um processo que foi acontecendo aos poucos :) Nos últimos anos mudei de casa várias vezes e isso obrigou-me a rever muitas vezes aquilo que eu tinha. Quando mudei para esta casa já quase só tinha o que era essencial para mim.

      Eliminar
  4. Oi Inês,
    Adorei o video :) estou gostando cada vez mais de acompanha-la. Vc eh a minha blogueira favorita do tema minimalismo.
    Uma pena q você nao posta muito (o que eh totalmente compreensível, uma vez que vc tem outros afazeres, claro!). Seu blog eh uma delícia para se acompanhar! Obrigada pelos posts :)
    Tenha uma otima semana.
    Jess

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh! wow, obrigada pelo elogio :) Eu também adorava publicar mais posts mas às vezes é mesmo difícil. Mesmo assim vou tentar actualizar mais o blogue!
      Espero que também tenhas uma óptima semana!

      Beijo,
      Inês

      Eliminar
  5. Muito bom seu blog, percebi que tem muito material em ingles, (o meu ingles tá péssimo percebi que eu estou com preguiça de ouvir e entender afff, tenho q voltar a estudar). O meu objetivo não é ser minimalista, percebi isso depois de 4 anos lutando contra a minha compulsão... por hora quero "minimalizar" meu consumo, meus pertences, minhas obrigações inuteis (tipo: ter coisas pq os outros têm) e gosto muito de ler a respeito e ver inspirações..Obrigada por compartilhar

    ResponderEliminar
  6. Boa noite minha flor, as imagens de sua casa me trouxeram imensa paz, creio que é assim que você se sente nela, plena, satisfeita, feliz, nada demais, nada de menos, apenas o necessário. Estou rumando para uma vida assim sem excessos, é muito importante pra mim, pois esta acontecendo de dentro pra fora, é devagar, mas é constante.
    um forte abraço, e luz no sua caminhada diária.

    ResponderEliminar