Campo


A natureza nunca esteve tão desvalorizada como durante as últimas décadas. A migração das pessoas do campo para a cidade e a facilidade com que passámos a adquirir frutas e vegetais de embalagens no supermercado mostra como a natureza tem ficado sempre em segundo plano no mundo moderno.
Não há como negar o apelo que a cidade, as tecnologias e modernidade têm em nós. Hoje podemos ir ao supermercado mais próximo e comprar carne, peixe, biscoitos caseiros e frutas sem termos de pensar como foram produzidas nem como é que foram ali parar. Isto tornou-se algo tão comum que até há quem já se tenha esquecido que o leite vem de uma vaca e não de um supermercado. Mas, quando deixamos a cidade e vamos até ao campo, nem que seja apenas por um dia, a nossa percepção das coisas começa a mudar. De repente começamos a reparar que as amoras sabem melhor quando são apanhadas por nós e que as uvas são mais bonitas quando não estão escondidas em sacos de plástico.Quando optamos por um estilo de vida mais calmo, podemos aproveitar estes pequenos prazeres e tornar a nossa semana mais significativa.
Num dos últimos fins-de-semana fui até há minha cidade natal e daí parti com a minha família para a casa de campo do meu avô, um dos meus sítios preferidos no mundo. Desde pequena que vou lá aproveitar o sol, nadar no rio e passar o dia em família mas, infelizmente, desde que estou a viver no Porto não tenho conseguido ir lá tantas vezes. Ainda assim, não poderia ter ficado mais feliz quando entrei no carro e comecei a ver a cidade a desaparecer atrás de mim.
Enquanto lá estive aproveitei ao máximo a natureza. Apanhei amoras, nadei no rio, coleccionei pedras, guardei um pouco de erva-cidreira para fazer chá, fiz a sesta deitada na relva e apanhei a maior quantidade de fruta que consegui. Posso dizer que foi certamente um dos melhores fins-de-semana que passei este verão. E o melhor é que acabou por tornar-se mais do que um simples fim-de-semana. Ao trazer todas estas pequenas coisas comigo, como as amoras, os pêssegos e a erva-cidreira, a minha semana no Porto esteve repleta de bons momentos. Algo que não teria sido tão bom se me tivesse limitado a ir ao supermercado comprá-las.
Como é difícil exprimir por palavras o estado de calma que me acompanhou ao longo desse meu fim-de-semana decidi criar um pequeno vídeo a mostrar um pouco mais sobre esses meus dias no campo.
Entretanto vou fazer os possíveis para voltar lá sempre que posso, porque não há nada melhor do que aproveitar momentos de calma num sítio onde a única fonte de energia é o sol.