É sempre a mesma cantiga?



Há muitas razões porque eu acho que o mundo se tornou num lugar melhor graças à internet. Uma dessas razões tem a ver com o facto de hoje em dia termos acesso a notícias, artistas e artigos que há apenas cinquenta anos atrás não teríamos. Antes, os nossos gostos estavam condicionados ao que ouvíamos na rádio e ao que víamos na televisão e, a não ser que tivéssemos um primo de outro país ou um amigo muito alternativo, era difícil ter acesso a algo diferente. Com a internet tornámo-nos mais independentes do que nunca dos meios de comunicação. Hoje, já não precisamos de estar à espera da 13h00 para ver as notícias e podemos descobrir a nossa nova música preferida muito antes de ela passar na rádio local.
Graças à internet, eu comecei a descobrir os meus próprios gostos musicais e a afastar-me das músicas comerciais que toca a gente ouvia. O meu objectivo não era querer ser diferente, eu apenas não gostava da rapidez com que as músicas comerciais eram descartadas. Hoje em dia, a indústria musical é muito similar à indústria da moda e isso não me agrada. Acho que as músicas devem ser mais do que uma moda e acredito que cada artista, mesmo os mais comerciais, deviam ter a sua própria voz e não serem constantemente nomeados como a nova Madonna ou os novos Beatles.
As minhas bandas favoritas neste momento são as mesmas de há cinco anos atrás e continuo a gostar tanto das ouvir como da primeira vez. Mas, as rádios comerciais e os canais televisivos de música tratam as músicas e os artistas como se tivessem um prazo de validade. Somos capazes de ouvir o último sucesso da Beyonce três vezes por dia durante um mês mas, depois disso, ou surge um novo sucesso ou então essa música já é considerada velha. Numa indústria que é responsável por algumas das maiores fortunas do mundo, ou se é um sucesso comercial ou não se é ninguém.

Deste ponto de vista as minhas bandas e artistas favoritos não são ninguém. Não passam na MTV, não têm batidas viciantes e os músicos não são estrelas de rock. Mas são bandas cujas músicas eu sou capaz de ouvir vezes e vezes sem conta durante anos a fio. Eu ouço-as do inverno à primavera e do verão até ao Outono, sem nunca sentir que a estação delas já passou. 
Apesar da internet ter ajudado a acelerar o ritmo da indústria musical, ela também me ajudou a ser mais selectiva em relação à música que ouvia. Graças à internet eu tenho a oportunidade de escolher as minhas bandas preferidas sem ter de estar à espera da MTV para me dizer quais vão ser. Isto tornou-me mais minimalista a nível musical porque deixei de ter o computador e o telemóvel cheio de álbuns onde só gostava de uma música e passei a ter apenas álbuns de dez artistas de que eu realmente gosto.

Se me perguntarem quais as minhas bandas e artistas favoritos sou capaz de enumerar cinco sem ter de pensar muito no assunto. E o mais provável é serem os mesmos que ouvi no ano passado e no ano anterior. Porque para mim a música, tal como a moda, também tem a capacidade de ser intemporal. Só precisamos de ser selectivos e fiéis aos nossos próprios gostos.  


SAME OLD, SAME OLD?

I believe the world became a better place because of the internet, due to many different reasons. One of those reasons has to do with the fact that nowadays, we have access to news, artists and other things that we wouldn't have 50 years ago. Before it, our tastes were limited to what we could hear on the radio and watch on TV, and, unless we had a cousin living in another country, or a very non-mainstream friend, it was hard to gain access to different stuff. With the internet we became far more independent than ever as far as media goes. Nowadays, we don't have to wait for 13:00h for the news, and we can discover our new favorite song before it ever reaches the local radio.
Thanks to the internet, I began to discover my own musical tastes and started stepping away from the mainstream music everyone listened to. This wasn't about becoming different, I just didn't like how quickly mainstream music was discarded. These days, the music industry is very similar to the fashion industry, and I don't like that. I think that songs should be more than just a fad, and I believe that each artist, even the mainstream ones, should have their own voice instead of being constantly hailed as the new Madonna or the new Beatles.
My currently favorite bands are the same as five years ago, and I still enjoy listening to them as much as I did first time. However, mainstream radio stations and TV stations deal with songs as if they had an expiration date. We might be listening to Beyonce's latest hit three times a day for a whole month, but after that, either a new hit comes along, or that song will be considered obsolete. In an industry that is responsible for some of the biggest fortunes in the world, either you are a commercial success, or you're nobody.
From this point of view, my favorite bands and artists are no one. They're not on MTV, they don't have catchy beats and the musicians aren't rockstars. But they are bands whose songs I can listen time and time again over many years. I listen to them from winter to spring and from summer to autumn, without ever feeling that their season has passed. 
Even though the internet has helped in accelerating the pace of the music industry, it has also helped me in being more selective in the music I listen to. Thanks to the internet, I have the opportunity of choosing my favorite bands without having to wait for MTV to tell me who they will be. This has made me more minimalist as a listener, because I no longer have my computer and phone filled with albums in which I only liked one song. Instead, I now have albums from 10 artists that I really like.

If someone asks me what my favorite bands and artists are, I can list five without having to think much about it, and they're likely to be the same that I've heard last year, and the year before that. For me, music, like fashion, also has the ability to be timeless. We need only to be selective and faithful to our own tastes.

10 comentários:

  1. Faltou dizer quais são os cinco preferidos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beach House, Kings of Convenience, The National, Joanna Newsom, Sharon Van Etten :)

      Eliminar
  2. muito bom! viva la internet!

    ResponderEliminar
  3. A tv é vista pelos mais velhos,a rádio continua repetitiva ,a internet é bem vasta,isso é muito bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, a internet traz-nos muito mais liberdade e ajuda-nos a encontrar os nossos gostos sem precisarmos de estar sob a influência do que dá na tv ou do que ouvimos no rádio.

      Eliminar
  4. Eu ouvia o que via na tv e rádio e achava que gostava ,sendo que era só influência da midia,com a popularidade da internet consegui me encontrar e mudei radicalmente meu gosto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso também me aconteceu. Quando era mais nova eu ouvia e gostava das mesmas coisas que todas as outras pessoas, hoje quase ninguém conhece as minhas bandas preferidas :)

      Eliminar
  5. Escreva sobre a midia e consumismo e sobre sua casa minimalista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é uma das minhas temáticas preferidas por isso pretendo escrever vários textos sobre o assunto :)

      Eliminar