Revistas tão valiosas como livros



Comprar um livro é visto como um investimento. Já comprar uma revista é visto como um entretenimento rápido, efémero e fútil. Felizmente, os estereótipos associados às revistas, e às pessoas que as lêem, estão a mudar. À medida que surgem revistas que privilegiam a qualidade em função da quantidade, as revistas passam a ser vistas cada vez mais como um investimento, como uma leitura a longo prazo que se guardam com amor na estante dos livros.
Durante a minha época pré minimalista costumava comprar mensalmente revistas como a Vogue e a Elle. Estas revistas funcionavam como um entretenimento de fim-de-semana, como uma forma de desanuviar a cabeça através das páginas que ia folheando. Contudo, a falta de interesse que eu sentia em relação a alguns dos conteúdos destas revistas faziam com que elas acabassem no lixo ou amontoadas em algum lugar, para nunca mais serem abertas.
Quando descobri a revista The Gentlewoman, o meu modo de encarar a compra de revistas mudou radicalmente. Inicialmente fiquei apaixonada pelos conteúdos da revista a nível escrito e visual. A revista está cheia de longos artigos e entrevistas que nos obrigam a pensar e que nos deixam com inspiração suficiente para daqui a um ano ainda estarmos a pensar naquilo que lemos. Além disso, o facto de a revista sair apenas duas vezes por ano é uma autêntica ode à calma e ao anti-consumismo.
Esta minha descoberta fez com que nunca mais comprasse uma Vogue ou uma Elle. Agora compro cerca de 2 ou 3 revistas por ano, que leio com calma durante meses e que guardo religiosamente na minha pequena estante de livros. Pode não parecer muito minimalista da minha parte guardar revistas, mas o facto de o meu trabalho ser à base da escrita faz com que seja bom ter por perto alguma inspiração. Além disso, apenas guardo aquelas que realmente me interessaram e que sei que vou querer ler novamente no futuro.  
Com os livros a situação é similar. Só costumo ficar com os livros que realmente gostei de ler e que sei que vou querer ler outra vez. Contudo, como costumo ir buscar livros à biblioteca frequentemente e como costumo fazer trocas de livros com amigos, não tenho quase livros nenhuns. Aliás, neste momento tenho apenas 10 livros e 4 revistas na minha estante.
Apesar das minhas revistas favoritas serem a The Gentlewoman e a Kinfolk, não as compro sempre. Costumo comprar apenas revistas que tenham algum artigo, entrevista ou temática que me interesse. Afinal, por mais qualidade que uma revista tenha o nosso interesse pessoal deve ser a verdadeira razão porque a compramos. O consumismo nunca deve ser um hábito. Nem mesmo se esse hábito for uma revista de qualidade que sai apenas duas vezes por ano.

                                                                                                                   

4 comentários:

  1. "Afinal, por mais qualidade que uma revista tenha o nosso interesse pessoal deve ser a verdadeira razão porque a compramos. O consumismo nunca deve ser um hábito. Nem mesmo se esse hábito for uma revista de qualidade que sai apenas duas vezes por ano."

    Gostei especialmente desta parte. É algo que passa completamente ao lado das pessoas.

    ResponderEliminar
  2. Breathtaking! Like this post a lot!
    Can’t wait for the new one!

    Diana Cloudlet
    http://www.dianacloudlet.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hello Diana!
      Thank you so much for you comment and for all of your inspiring posts!

      Eliminar