Do inverno à primavera



As transições são complicadas. Mesmo quando acontecem quatro vezes por ano. Se a mudança do outono para o inverno é uma questão de acrescentar camadas e manter as cores, o mesmo já não se pode dizer da passagem do inverno para a primavera.
De repente sentimo-nos pesados. Se há uns tempos era agradável usar o nosso peso em roupa, ultimamente parece que tudo o que usamos é desadequado, quente e escuro demais. Afinal de contas, o sol já começa a brilhar lá fora, os dias começam a querer ficar mais compridos e as lojas estão constantemente a lembrar-nos que as roupas de verão já estão à nossa espera.
Para não nos deixarmos encantar demasiado com as roupas frescas que as lojas nos propõem é preciso planear bem a nossa transição dos casacos de inverno para os vestidos de primavera de forma cuidadosa. Afinal, a imprudência é o pior inimigo de um armário minimalista.

Primeiro passo – Sabes o que vestiste no verão passado?
O primeiro passo para estabelecer o nosso estilo de primavera e para planear as compras que podem ser necessárias é visitar as nossas roupas de verão. Se estão arrumadas numa gaveta ou num espaço sombrio do armário, esta é a altura certa para as trazer para a luz do dia e para analisar o que está bom, o que já não usamos e o que faz falta. Fazer compras antes de saber o que realmente temos é quase sempre um erro.

Segundo passo – Descobre qual é o estilo que procuras
Depois de analisares o que tens do ano passado podes ficar contente com o teu armário ou ficar com a sensação de que não gostas nada daquilo que tens e que estás longe do estilo que gostarias. Mais uma vez, ir a correr para as lojas não é a solução. (Lembra-te, a imprudência é tua inimiga) A solução é inspirares-te num conceito, numa pessoa, num local ou em qualquer outra coisa que te ajude a definires o que queres alcançar com o teu estilo.
Isto vai ajudar-te a canalizares os teus pensamentos para um certo tipo de roupa e quando fores às compras vais conseguir mais facilmente esquecer tudo aquilo que te querem vender e concentrares-te naquilo que tu realmente queres no teu armário.

Terceiro passo – Sê a tua própria fonte de inspiração
Inspirarmo-nos em imagens, lugares ou pessoas é uma excelente forma de encontrarmos o nosso estilo. Contudo, para sabermos o que nos fica bem não há nada melhor do que inspirarmo-nos em nós próprios. Uma das formas de percebermos o que nos fica bem e que tipo de cores e peças gostamos mais é através de fotografias nossas. Há melhor forma de percebermos o que nos fica bem do que através de um imagem daquilo que vestimos no passado?

Quarto passo – Com o tempo isso vai passar!
Quando vemos algo bonito é normal sentirmos uma forte atração, mesmo sendo apenas por uma peça de roupa. Mas depois do fascínio do novo passar, ela transforma-se em apenas mais uma peça de roupa ao fundo do armário. Uma das formas de evitar estes falsos amores é deixar passar algum tempo. Se ao final de uma ou duas semanas ainda quisermos o vestido de primavera que vimos naquela loja, então é provável que seja algo que queremos mesmo e que possa vir a ser um bom investimento. Mas na maior parte das vezes o mais provável é esquecermo-nos daquilo que queríamos comprar.


Este post focou-se mais na parte teórica de como fazer uma transição subtil da roupa de inverno para a roupa de primavera. Contudo, estou a pensar escrever um post sobre como eu apliquei estes passos e sobre quais estão a ser as minhas inspirações para a primavera. O que acham da ideia?

2 comentários: