Como ter um estilo minimalista



Como já escrevi em tempos, ter um estilo minimalista não é a mesma coisa que abordar o ato de vestir com minimalismo. Usar uma palete de cores neutras onde predominam o preto e branco é uma característica marcante do estilo minimalista, enquanto ter um pequeno conjunto de roupa que é perfeito para o nosso corpo e para o nosso modo de vida representa uma abordagem minimalista ao modo de vestir. Apesar destes dois conceitos serem diferentes eles funcionam na perfeição quando são conciliados.
O estilo minimalista tem como principais característicos a ausência de cor, a utilização de formas estruturadas e um regresso às formas básicas. Contudo, tal como quase tudo no mundo da moda, estas características são abordadas de formas diferentes dependendo do designer, da época e do contexto. Por exemplo, as roupas criadas pela Coco Chanel foram vistas na altura como minimalistas e bastante básicas, tendo em conta a ornamentação que se usava nas roupas femininas naquela altura. Contudo, de uma perspectiva actual, a estética desses modelos afasta-se muito dos designs de marcas minimalistas recentes. Basta olharmos para marcas como The Row, Cos ou & Other Stories para ver como a moda minimalista actual é completamente diferente do que era anteriormente. Apesar destas diferenças marcadas por valores culturais e estéticos, a base do estilo minimalista é sempre a mesma – dar relevância ao menos em função do mais e criar uma estética mais baseada em formas do que em ornamentos. Neste sentido, ter um estilo minimalista é regressar aos básicos sem perder a originalidade e o gosto pessoal. Porque apesar de nos quererem fazer acreditar que usar peças de roupa mais básicas está associado a um vazio de estilo, a verdade é que ao usarmos um estilo mais minimalista a  nossa identidade não se perde. Intensifica-se.
Antes de me passar a vestir de forma mais minimalista eu achava que gostava de todo o tipo de roupa e que, ao mesmo tempo, não gostava de nada. Passava o tempo a deixar-me levar ao sabor das modas e o meu estilo pessoal acabava por se perder de estação para estação. Quando decidi que precisava de roupa mais básica apercebi-me que a utilização de peças mais clássicas e minimalista tornavam o meu estilo mais constante.
Para conseguir um estilo minimalista concentrei-me em três coisas - estruturas, materiais, detalhes e ausência de padrões.

Estruturas
O estilo minimalista é caracterizado por ser estruturado através de formas geométricas básicas. Contudo, este tipo de rigidez pode prejudicar o nosso estilo se o tipo de estrutura que estamos a usar não assentar bem no nosso corpo. Para isso é importante conhecer os vários tipos de estruturas e tentar perceber quais é que nos favorecem mais.

Materiais
Quando a maior parte das peças que usamos são básicas e têm cores neutras o nosso armário pode tornar-se demasiado básico e desinteressante. É por isso que devemos ter uma atenção especial aos materiais que compramos. Ao apostarmos na qualidade e na diversidade dos tecidos estavam a criar um armário minimalista de qualidade adequado para várias situações sem cair pecar pela ausência de simplicidade.

Clássicos
Vezes e vezes sem conta somos deparados com palavras como “básicos”, “intemporais”, “essenciais”, “clássicos” e “must-have”. Estes termos referem-se normalmente a algo que devemos comprar e que, em teoria, nunca vai passar de moda. As camisas e as t’shirts brancas, as calças pretas, os trench coats e os pequenos vestidos pretos são normalmente os maiores alvos destes termos. O estilo minimalista é construído com base neste tipo de peças mas isso não significa que precisamos de uma nova gabardina clássica todas as estações.
Numa indústria como a da moda a falta de inovação é quase sempre um presságio de morte e a renovação de clássicos é só por si um movimento clássico no mundo da moda.
Para não cedermos aos impulsos consumistas, e não nos perdermos na ideia de que em cada estação devemos ter uma nova coleção de peças clássicas e intemporais, é preciso olharmos de forma crítica para estes clássicos porque apesar de serem quase sempre bons investimentos é preciso ter em conta o nosso estilo pessoal. As camisas brancas só são um bom investimento se as vestirmos.

Detalhes
Quando pensamos num estilo minimalista é normal pensarmos logo em roupas básicas. Contudo, o minimalismo distingue-se do simplismo pelos detalhes. Uma camisola simples com detalhes interessantes pode mesmo ser mais bonita e elegante do que uma camisola extremamente ornamentada. A beleza está nos detalhes que quase ninguém vê.

Ausência de padrões
É inegável que uma das principais características do minimalismo são as cores básicas e neutras. Ou seja, não só o branco e o preto como as restantes cores primárias. Contudo, a maior peculiaridade do estilo minimalista é mesmo a ausência de padrões. Por esta razão sempre que faço compras tento apostar em peças de roupa livres de padrões. Caso contrário estou a apostar numa peça que é mais facilmente datada.

Uniformes
Cada vez que demonstrava alguma indecisão na hora de vestir, a minha mãe dizia-me sempre para não complicar muito as coisas e para vestir apenas umas calças e uma camisola. Apesar de ter ouvido este conselho durante quase toda a minha vida só há uns anos atrás é que percebi como esse era o segredo para ter um estilo melhor. O maior parte dos problemas que surgem na hora de saber o que vestir estão associados à combinação das peças entre si, ou seja, quando nos queixamos de não ter nada para vestir, na maior parte das vezes estamos a lamentar não ter nada que combine entre si da forma que nós gostaríamos. Uma solução simples para este problema é criar uniformes, isto é, conjuntos de roupa que combinem facilmente entre si e que estejam de acordo com o nosso estilo. Antes de começar a criar estes uniformes, minimizei o número de roupa que tinha no armário, tal como o número de peças que usava simultaneamente. A seguir, comecei a conjugar determinados tipos de peças em conjuntos. 
Ao simplificarmos as nossas opções de combinação de peças através da criação de uniformes, estamos também a ganhar uma maior consciência daquilo que temos e do que nos faz falta. Afinal, quantas peças perfeitas já foram compradas só para descobrirmos que não combinam com absolutamente nada do nosso armário?
Ao criarmos uniformes que são um reflexo perfeito do nosso estilo estamos a poupar tempo, dinheiro e a conseguir ter um estilo cada vez mais definido.

Ao seguir estes passos consegui ter um estilo que está de acordo com aquilo que defendo e com o que quero transmitir. O minimalismo não é a solução para todos os problemas do mundo mas simplificar a forma como nos vestimos pode ser tudo aquilo que precisamos para dedicar mais tempo àquilo que é realmente importante para nós.


HOW TO HAVE A MINIMALISTIC STYLE

As I've written about before, having a minimalistic style isn't the same as dressing minimalistically. Wearing a neutral color palette where black and white rule is a defining trait of the minimal style, while having a small set of clothes built to fit our bodies and way of life is the minimalistic approach to dressing. Even though these two concepts are different, they work together perfectly when combined.
The minimal style has as main traits the absence of color, the use of structured forms and a return to basic shapes. Still, as almost everything in the world of fashion, these traits are dealt with differently depending on the designer, the age and context. For example, clothes created by Coco Chanel were seen as minimal and basic at the time, considering how ornamented women's clothing was back then. However, from the present point of view, the aesthetics of those pieces deviates greatly from present day minimalistic designs. Simply looking up brands such as The Row, Cos or & Other Stories reveals how much present day minimal fashion is different from before. Beyond these differences, set by cultural and aesthetic values, the core of the style is still the same - valuing less over more and building aesthetics from form, instead of from embellishments. Considering that, having a minimal style is but a return to the origins of style without sacrificing originality and personal taste. Even though fashion brands try and make us think that wearing basic pieces represents an absence of style, the truth is that by wearing simpler, our identity is not lost, but enhanced.
Before I began dressing this way, I used to think I liked all kinds of different clothes, and at the same time, liked nothing. I spent my time getting carried away by the winds of the latest fashion fad and my personal style ended up nowhere, season after season. When I decided I needed simpler clothes, I realized that the use of more traditional and minimalistic pieces made my style more coherent.
In order to achieve a minimalistic style, I focused on three aspects - structure, materials, details and patternlessness.

Structure
The minimal style is defined by structural buildup through basic geometrical shapes. Still, this kind of stiffness may harm our style if it doesn't fit our bodies. It's important to know the multiple types of structure and try to figure out which one fits us best.
Materials
When most pieces we wear are neutral colored and barebones, our closet may become dull and too simple. That is exactly why we should keep an eye on the materials we buy. By sticking to fabric quality and diversity, we'll end up with a minimal, quality selection that fit for many scenarios, without sinning for over complexity.
The Classics
Time and time again we are faced with words such as "basic", "timeless", "essentials", "classics" and "must-have". These terms usually refer to something we should buy, and that, in theory, will never become unfashionable. White shirts and t-shirts, black pants, trench coats and small dresses are usually the best examples. The minimalistic style is built grounded on these kinds of pieces, but that doesn't mean we need a new classic trench coat for every season.
In an industry such as fashion's, the lack of innovation is almost always a bad omen, and the renewal of classics in in itself, a classic trend in the world of fashion.
In order not to fall prey to the impulses of consumerism, and in order not to get lost in the thought that we should have a new set of classic, timeless pieces for each season, we should always be critical and wary of these classics, because even though they are almost always good investments, we need to keep our own style in mind. White shirts will only be a good investment if we actually wear them.
Details
When we think about a minimal style, our thoughts usually go towards basic pieces. However, minimalism sets itself apart from simplism through details. A simple shirt with interesting details may be prettier and sleeker than an extremely decorated shirt. Beauty is in the rarely-seen details.

Patternlessness
Basic and neutral colors are an undeniable component of minimal styles. Not just black and white, but primary colors too. However, the most noticeable quirk of the minimal style is paternlessness. This is why whenever I shop for clothes, I tend to spend my money on pattern-free pieces. If I don't, I will be investing in something that will more easily become dated.

Uniforms
Every time I became doubtful at dressing time, my mother told me not to overcomplicate things, and just dress a simple shirt and a pair of pants. Even though I'd heard this advice throughout my entire life, only a few years ago did I realize that that was the secret to a better style. Most problems that arise during dressing time come from the combination of all the different clothing items. When we complain that we don't have anything to wear, the truth is that we actually don't own any matching sets we really like. A solution to that problem is to create uniforms, sets of clothes that go together easily and match our styles. Before I began creating these uniforms, I reduced the number of items I had in my closet, as well as the number of pieces I wore simultaneously. After that, I began mixing and matching different types of pieces in several sets.
By cutting down on our options by creating uniforms, we also become more aware of what we have and what we don't. After all, how many perfect pieces have we bought only to end up realizing they don't go well with anything else?
By creating uniforms that match our styles, we're saving time, money and defining our style ever further.

By following these guidelines I managed to acquire a style that is in sync with what I defend and what I want to get out to others. Minimalism isn't the solution to all of the world's problems, but simplifying the way we dress might be all we need to make more time to what truly matters to us.

2 comentários:

  1. Gostei muitíssimo do post, Inês! O seu blog me inspirou e motivou bastante no objetivo de mudar meu estilo pessoal e hábitos de consumo.
    Também comecei a compartilhar um pouco dessa experiência num blog para que minha animação não arrefeça e até o momento tem dado certo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Marianna! Ainda bem que gostaste e que o meu blogue te está a ajudar a teres um estilo pessoal melhor :)

      Eliminar